sábado, 19 de junho de 2010

Emprego Novo

Então, comecei um novo emprego. Serei bibliotecário em uma biblioteca universitária em Guaxupé, sul de Minas.

A semana que passou foi minha primeira semana e gostei muito, o pessoal é legal e o clima do lugar é ótimo. Terei muito trabalho pela frente e estou muito feliz com essa nova etapa em minha vida.

Hoje estou em São Paulo, ficarei esse fds por aqui. Segunda vou pra São Carlos, tenho que terminar meus compromissos por lá. E ainda tenho que ir pra Passos e para Belo Horizonte, fazer meu registro profissional. Meus dias serão bem corridos até voltar para Guaxupé.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Palestra com Denis Russo Burgierman

Hoje em nossa aula de transmídia tivemos uma palestra do jornalista Denis Russo Burgierman, que durante anos trabalhou na revista Superinteressante. Ele veio nos apresentar sua experiência com a criação e desenvolvimento de Args. Explicando: lembram daquelas brincadeiras de Caça ao tesouro e gincanas? args são coisas parecidas e são feitas utilizando várias mídias e plataformas. Os melhores exemplos foram usados para divulgar filmes, como Inteligência Artificial e Batman, e séries, entre temporadas, como Lost e Heroes. São lançados jogos e charadas e os participantes devem resolver e seguir as pistas até conseguir chegar ao final da narrativa que é proposta. Para mim, os Args me lembram o jogo e animação da Carmen Sandiego.

Estou comentando sobre essa palestra porque adorei a oportunidade de conhecer o Denis. Eu sou leitor da Super desde moleque e tenho toda a coleção até o ano em que deixei de ser assinante, que foi em 2004, eu acho.

A Super, junto com o cinema e os livros, foi uma grande companheira em minnha vida e devo muito a ela pela minha formação. Ela estimulou minha curiosidade e sempre me ensinou um pouquinho de tudo, desde coisas práticas do dia-a-dia até as loucuras da física quântica. Foi uma grande educadora em minha vida. Lembro que na terceira série o povo já me olhava torto por eu saber de coisas que não pertenciam ao universo de uma criança.

Gostava da coluna de matemática do Luis Barco, da coluna de jogos e do mapa do céu. Fazia meu pai botar a escada na garagem de casa pra poder subir no teto só pra observar o mapa do céu no dia e hora que a revista dizia e ficava tentando identificar planetas e estrelas. Lia todas as matérias, mesmo sem entender a maioria. Mas com o tempo fui começando a aprender mais e a entender um pouco de cada ciência.

Lembro que meu primeiro salário foi de R$10,00 em 1995 e com esse dinheiro comprei uma Super e fui ao cinema. O troco virou chiclete e Chocolate Surpresa. =)

Em 1996, quando comecei a trabalhar de verdade, a primeira coisa que fiz foi me tornar assinante e continuei assinando até meados de 2004, 2005… Depois passei a comprar apenas de vez em quando e até hoje continuo assim, principalmente por causa da faculdade que toma meu tempo e minha grana que sempre oscilou durante os últimos anos.

A Super me ajudou inclusive na minha escolha profissional, porque embora ela nunca tenha abordado a biblioteconomia ou a ciência da informação (diretamente, porque indiretamente ela já abordou, mesmo sem saber), ela contribuiu na formação dos meus múltiplos interesses de saberes e pelo espírito curioso.

Então, o Denis foi a primeira pessoa que já trabalhou na Super que conheci pessoalmente. Já cheguei a conversar com o Rafael Kenski e a Mafê Vomero pelo orkut há alguns anos atrás, mas nunca os conheci pessoalmente. Conhecer o Denis foi muito legal de verdade e ele tem o espírito alegre, descontraído e é muito animado, como demonstrava pelas páginas da Super na época em que trabalhava por lá.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Melhor inauguração de lanchonete

Meu amigo de Passos me contou que foi na melhor inauguração de uma lanchonete que já teve por aqui.

Fizeram uma lanchonete chique, estilo McDonalds, e divulgaram a torto e direito pela cidade, de todas as formas possíveis.

Pois bem, chegou o grande dia e meu amigo foi com outros amigos conferir a lanchonete. Ela abriu as 20h, meu amigo chegou às 21h e estava lotado. A publicidade toda deu certo e o local lotou.

Meu amigo não gostou do lanche porque ele é absurdamente caro para os padrões da cidade e muito pequeno (segundo ele é menor até que um McDonalds!!).

Mas teve um momento que meu amigo viu uma movimentação estranha entre os funcionários. De repente uma das donas chegou carregando um pedaço enorme de bacon nas mãos e passou pelos clientes direto para a cozinha. Passou um tempo os garçons foram até as portas e fecharam tudo, avisando para quem estava dentro: “Pessoal! Acabou o pão. Tentamos comprar mais na cidade mas não deu” e a dona se defendeu: “Não imaginávamos que viria tanta gente”.

Eu fico pasmo com uma coisa destas, eles gastam uma grana com publicidade e não conseguiram atender a demanda do primeiro dia?!?! Assim fica difícil, né?

Mas melhor foi um conhecido nosso, um gordo metido e esnobe, que escorregou no chão liso enguanto segurava duas cocas de 2 litros na mão. O povo caiu na risada e ele e a namorada ficaram revoltados, dizendo que não iriam pagar a conta.

Vou escorregar também pra não precisar mais pagar as contas onde eu for, oras…ahahaha

terça-feira, 1 de junho de 2010

Correnteza Djavan

Trilha do meu dia 01 de Junho de 2010…

charlie brown e linus pensativos

A correnteza do rio
Vai levando aquela flor
O meu bem já está dormindo
Zombando do meu amor
Na barranceira do rio
O ingá se debruçou
E a fruta que era madura
A correnteza levou, a correnteza levou
A correnteza levou

E choveu uma semana e eu não vi o meu amor
O barro ficou marcado
Aonde a boiada passou

Depois da chuva passada
céu azul se apresentou
Lá à beira da estrada, vem vindo o meu amor
A correnteza do rio
Vai levando aquela flor
E eu adormeci sorrindo
sonhando com nosso amor
Sonhando com nosso amor
Sonhando com nosso amor

Oh, dandá, oh, dandá…